Autor: Yukio

Gráficos com ou sem muitos detalhes?

Sempre tive um pé atrás com relação ao exagero em qualquer tipo de apresentação. Seja na minha dissertação de mestrado, que teve 33 páginas, ou nas apresentações no trabalho, onde evitava encher slides com muitas informações, preferia apresentar algo enxuto que focava no que importava. Por estes motivos, meus gráficos sempre foram os mais simples possíveis. Achava inclusive que encher de detalhes, legendas e outras anotações, iria tirar o foco do leitor. Mas o que diz a literatura sobre isso? (mais…)

Anúncios

Group By no Python + Group By com Base Filtrada

O termo group by é muito popular para quem trabalha com base de dados. Quando temos repetições para o elemento chave e queremos fazer um resumo, um agrupamento, é esse o comando a ser utilizado. Um exemplo clássico é quando você tem os dados dos gastos feitos por clientes de uma loja e sua base contém um gasto por linha. Para obter o total gasto por cada cliente, você irá recorrer ao group by. (mais…)

Maconha: A Porta de Entrada Para Outras Drogas?

A maconha é vista como a porta de entrada para drogas mais potentes pelos mais conservadores e receosos com o uso da substância. Ainda que este argumento tenha sido criado com a onda da proibição, junto com outros argumentos que já foram comprovados como sendo falaciosos, até hoje ele é utilizado e tido como uma verdade absoluta por muitos. O grande problema é que, assim como a vasta maioria dos argumentos utilizados por quem é a favor da proibição da droga, ele é comumente levantado sem nenhum tipo de dado científico. (mais…)

O Parque dos Ratos: O Vício Além dos Componentes Químicos

mouse-addiction-pic

Como não escrevo mais para nenhum outro site, este texto teve que ser publicado aqui mesmo. Sei que não tem a ver com o EstatSite, mas é o jeito.

Drogas viciam, todo mundo sabe disso. O motivo parece óbvio, há alguns componentes químicos que agem sobre seu cérebro de forma a criar uma dependência. É assim com álcool, nicotina, maconha, cocaína e muitas outras substâncias conhecidas. Ao menos, é assim que o senso comum costuma tratar o vício. O que poucos sabem é que no caso das drogas, assim como em muitos outros temas, o senso comum não segue à risca o que a ciência diz. Há muito tempo, ainda que isso não seja muito falado, descobriu-se que o vício possui outras origens que vão além da química e elas estariam no ambiente em que o indivíduo faz parte. (mais…)

Experimentos Controlados: Intenção-de-Tratar

Os experimentos aleatórios controlados, famosos RCTs (Randomized Controlled Trials), trazem consigo alguns problemas no que diz respeito aos indivíduos que fazem parte do estudo. Pense, por exemplo, num indivíduo que faz parte de um estudo com um novo remédio que deve ser tomado para baixar seu colesterol. É impossível para o cientista que está realizando o estudo saber se o paciente vai tomar ou não o remédio. É impossível também ele fazer com que o indivíduo não desapareça do nada. Para lidar com estes problemas, é comum adotamos a abordagem Intenção-de-Tratar (nome traduzido diretamente de Intention to Treat). Apenas para facilitar a escrita, chamaremos a abordagem de sua abreviação no inglês, ITT. (mais…)

Qual amostra mais confiável, uma de 90% da população ou uma de 5%?

Lembra daquelas pesquisas eleitorais de Twitter ou qualquer outra plataforma falando: entre aqui e marque em quem você vai votar, vamos fazer uma amostra de X milhões de pessoas, mais confiável que as pesquisas atuais? Eu lembro bem, pois é sofrível para alguém que adora estatística ouvir isso. Se você está minimamente próximo da estatística na sua vida profissional ou acadêmica e ainda acredita que é uma amostra de 1 milhão de pessoas é mais confiável do que uma de 5 mil, se você é desses que não desconfia de pesquisas feitas na internet onde participa quem se dispõe a clicar e preencher as respostas, então aconselho a leitura de uma discussão de hoje que aconteceu no Twitter. (mais…)

Comunidades Terapêuticas: A Chave para Vencer as Drogas?

Estava com este texto escrito desde abril, como não encontrei onde publicá-lo – na verdade, até achei que tivesse, mas o site para o qual eu mandei ainda não publicou – vai ser aqui mesmo. Sem revisões de terceiros mesmo, então peço desculpas se tiver algum erro de concordância, gramática ou algo assim (acho que não tem!).

A guerra às drogas já consumiu trilhões de dólares considerando somente os Estados Unidos [1]. Apesar deste gasto imenso, este mercado nunca esteve tão acessível, o que deixa claro que as medidas de repressão que boa parte dos países adotaram no passado fracassaram. Por este motivo, boa parte do mundo desenvolvido tem migrado para uma política de redução de danos, descriminalização e legalização, ao invés de repressão. O Brasil, no entanto, ao assinar a nova Política Nacional sobre Drogas (PNAD) [2], caminha mais uma vez na direção contrária do que recomendam os especialistas da área. (mais…)

Introdução ao Text Mining com Python

Ainda não fiz nenhum post sobre text mining neste blog, o que é um pecado. Analisar textos, agora que muita informação está no Twitter, Facebook, comentários, discussões online, dentre tantas outras coisas, é essencial. Por isso, hoje vou fazer um breve post, no melhor estilo github, deixando somente o código e os comentários. Penso que é tudo bem auto-explicativo aqui, mas fiquem à vontade de me questionar nos comentários ou em qualquer outro lugar, caso tenham dúvidas com relação a algum trecho. (mais…)

Join / Merge no Python / Pandas

Assim como aprendemos no SQL, ou qualquer linguagem para manipulação de bases de dados, como unir bases de dados de diferentes maneiras, o Pandas nos permite fazer estas tratativas no Python. Abaixo, vamos aprender como fazer as uniões de tabelas e algumas táticas que podem facilitar sua vida. (mais…)

Só existem 4 grandes clubes no Brasil!

Há um tempo, um jornalista levantou o ponto de que só existem 4 grandes clubes no Brasil. Comentei isto numa thread no meu Twitter, mas antes havia iniciado este post aqui porque eu queria argumentar um pouco mais. O post ficou como rascunho por várias semanas até que hoje eu acidentalmente o vi. Achei válido finalizá-lo, só por diversão, mesmo não tendo nada a ver com o EstatSite. A fonte se resume ao Wikipedia, mas vou colocar alguns links ao fim do post. (mais…)