Estatística Básica

Probabilidade (II): Princípio Fundamental da Contagem

Em análise combinatória, princípio fundamental da contagem é a ideia de que a quantidade de formas que ações independentes distintas podem ocorrer é a multiplicação do número de modos em que elas podem se apresentar. Em outras palavras, se você tem um evento X que pode ocorrer de n formas, um evento Y, distinto e independente, que pode ocorrer de formas, o número de formas com que esses dois eventos podem se apresentar será n*m. (mais…)

Anúncios

Probabilidade (I): Introdução e Conceitos Básicos

A probabilidade é o estudo da chance de ocorrência de um determinado evento. Quando jogamos um dado e perguntamos “qual a probabilidade de sair o número 3?”, queremos saber qual a chance de sair 3. Queremos saber o que é esperado deste evento, que é jogar um dado. A forma que temos de quantificar uma probabilidade é um número que vai de 0 até 1. Claro que, muito provavelmente, você prefira expressar a probabilidade em percentual, o que é a mesma coisa. Quando temos 100% de chance de que o evento ocorra, a probabilidade será 1, já quando temos 50%, a chance é 0,5. (mais…)

Estatística Essencial em Forma de Anedota

Escrevi uma série de textos no Portal Deviante sobre experimentos, amostragem e outras formas de se fazer análises, além de explicar alguns conceitos estatísticos, todos em forma de historinhas, com exemplos bem claros. Cuidados que se deve ter e erros comuns. Todos bem leves e escritos de uma forma bem informal. (mais…)

Correlação Parcial e Semiparcial: Definição e Código SAS

Além da correlação linear comumente utilizada na estatística, duas outras correlações podem ser interessantes para sua análise: parcial e semiparcial. Ambas dizem respeito à associação entre as variáveis, no entanto, agora trabalhamos com a ideia de manter outras variáveis controle constantes. (mais…)

Testes de Hipóteses

INTRODUÇÃO: A QUESTÃO A SER RESPONDIDA

No mundo real é quase sempre impossível analisar uma população inteira para fazer um estudo. Um laboratório não conseguirá testar seu remédio em todos os indivíduos da população. O que é de praxe, é obter uma amostra, fazer os devidos testes com ela e tentar concluir se o remédio funciona ou não. Em suma, o que estamos fazendo é testando uma hipótese, a de que o remédio funciona. Mas e se você tivesse 50 pacientes e observasse que o remédio funciona para 30 deles? Isso é suficiente para concluir que o remédio funciona? Ou deveríamos concluir que ele não funciona? (mais…)

Amostra: Definição e Exemplo Prático

População é o conjunto de todos os indivíduos, coisas ou eventos do problema em questão. Em um estudo médico sobre obesidade, a população são todos os indivíduos obesos. Em uma análise sobre acidentes de trânsito, a população é composta por todos os acidentes de trânsito. (mais…)

Teorema de Bayes na Prática

Já expliquei sobre o Teorema de Bayes algumas vezes (Teorema de Bayes na prática: interpretando falso positivo e Probabilidade Condicional e o Teorema de Bayes). Para complementar o conteúdo, escrevi um texto no Portal Deviante com um pouco mais de contexto sobre o assunto, num tom bem informal: Deu positivo, mas tô de boa porque aprendi Bayes